Página inicial > documentos > Ciranda.net > Brasil sem homofobia

Brasil sem homofobia

domingo 26 de março de 2006, por Fernanda Pereira,

As situações de discriminação de homossexuais são muito comuns mais comuns no cotidiano escolar de crianças e adolescentes do que se imagina. Brincadeiras do tipo xingar a um amigo de "veadinho", por exemplo, estão quase que incorporadas à nossa cultura.

Contribuir para a transformação desse cenário é o objetivo do Curso de Formação de Educadores/as em Gênero, Sexualidade e Relações Étnico-raciais, uma parceria do Ministério da Educação com a Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial e a Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres. Também apóiam a iniciativa o Centro Latino-americano em sexualidade e direitos humanos da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) e o Conselho Britânico.

Embora seja uma iniciativa conjunta, a idéia do curso já fazia parte das ações planejadas na área de educação para o Brasil sem Homofobia - Programa de combate à violência e discriminação contra GLTB e Promoção da Cidadania Homossexual. Lançado em 2004, é gerido pela Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade (SECAD), que é o órgão do governo federal que trata mais diretamente das questões de orientação sexual.

O tema foi apresentado por Maria Eliza Brandt, assessora da SECAD, em oficina do FME ocorrida na tarde de hoje. Ela explicou que o curso é inovador porque será ministrado em regime semi-presencial, envolvendo ferramentas de educação à distância.

A iniciativa, que inicialmente trata-se de um projeto piloto, envolverá 1,2 mil profissionais da educação em 6 municípios brasileiros: Dourados (MT), Maringá (PR), Nova Iguaçú e Niterói (RJ), Porto Velho (RO) e Salvador (BA). As aulas serão iniciadas no mês de junho e a carga horária total será de 200 horas, distribuídas em 10 horas semanais.