Página inicial > FSM WSF > FSM 2011 > Indignados invadem coletiva de imprensa do documento final da (...)

Indignados invadem coletiva de imprensa do documento final da Rio+20

segunda-feira 25 de junho de 2012, por ,

Todas as versões desta matéria: [English] [Português do Brasil]

O documento final da Rio+20 foi marcado por uma frustração generalizada,
com muitas vozes denunciando a falta de ambição, urgência e
comprometimento real com o meio ambiente.

Dois membros do movimento Occupy invadiram a
coletiva de imprensa da Conferência das Nações Unidas sobre
Desenvolvimento Sustentável, Rio+20, denunciando que o documento final não
representa as vozes que lutam contra a degradação do meio ambiente e a
opressão. Membro do Occupy Wall Street, Alexandre Carvalho e integrante do
Ocupa Sampa, Maryana Sant’Ana se infiltraram na coletiva que estava
ocorrendo na sala P3 – 7 e se sentaram próximos aos panelistas aguardando
o inicio da coletiva marcada para as 2pm, que contava com chefes de
estado, embaixadores, e alto escalao das Nacoes Unidas.

Quando um dos membros da mesa começou seu discurso, apontando que a causa
da degradação ambiental e a quebra da economia global não era devida aos
bancos mas sim proveniente da falta de ação dos governos, os dois
ativistas ocuparam a frente do painel, pegaram duas flores que estavam
decorando o local, e disseram: “Eles NÃO nos representam! Queremos uma
democracia real! Estamos aqui para anunciar um novo tempo; um tempo de
imaginação, poesia e sem ecocídio! NÃO AO GENOCÍDIO entre GERAÇÕES!”,
quando foram retirados a força da sala pela segurança da ONU.

O documento final da Rio+20 foi marcado por uma frustração generalizada,
com muitas vozes denunciando a falta de ambição, urgência e
comprometimento real com o meio ambiente. Enquanto líderes de estado
tiveram um discurso vazio em relação ao documento e as negociações,
membros da sociedade civil organizada e ONGs ameaçaram remover seu apoio
da declaração final.

“O controle das corporações dentro da ONU está minando as soluções reais
provenientes de movimentos sociais de base”, diz Sant´Ana. “Vender o
capitalismo verde como solução dos problemas ambientais do mundo é uma
farsa – a solução consiste em solidariedade internacional, tecnologias de
codigo aberto e uma nova consciência mundial.”

Uma petição pública e o imperativo do código aberto (software livre),
declarações fundamentais, podem ser encontrados aqui:
www.occupytheearth.net

Contatos:
Jogos Revolucionários, #Occupy Wall Street – USA
Email: ac3018@nyu.edu

#Ocupa Sampa – São Paulo
Email: ocupasampa@riseup.net