Página inicial > FSM WSF > FSM 2011 > Direito a um futuro

Direito a um futuro

quarta-feira 1º de fevereiro de 2012, por bruno, Ionara Silva, Juliana Cordeiro,

Rede Social Watch lança em POrto Alegre relatório sobre desenvolvimento sustentável com dados de organizações da sociedade civil de 66 países

Ionara Silva e Juliana Cordeiro, da Agência Jovem de Notícias

A rede Social Watch lançou o Relatório sobre Desenvolvimento Sustentável 2012, que conta com levantamentos de organizações de 66 países e as conclusões preliminares do Grupo de Reflexão da Sociedade Civil sobre Desenvolvimento Global.

A atividade foi realizada pela Fundação Friedrich Ebert com apoio do Global Policy Forum e Terre des Hommes, durante o Fórum Social Temático, em Porto Alegre e reuniu nomes como Roberto Bissio ( Social Watch), Alejandro Chanona (UNAM Mexico), Barbara Adams Global Policy Forum, EUA), Gigi Francisco ( Dawn, Filipinas), e Wolfgang Obenland (Social Watch, Alemanha) para um debate sobre desenvolvimento sustentável.

O relatório apresenta dados sobre o desenvolvimento sustentável, o progresso na erradicação da pobreza e igualdade de gênero em todo o mundo. “Da Primavera Árabe ao Ocupem Wall Street, os cidadãos foram às ruas em todo mundo exigir políticas alternativas para crise global- econômica, financeira, climática e alimentar. Para repensar novas metas e estratégias é imprescindível que as vozes da sociedade civil sejam ouvidas”, é o que aponta o documento.

Para Roberto Bissio, secretário internacional da Social Watch, a Conferência Rio 92 não forneceu uma definição precisa do que seriam essas necessidades do presente, mas, posteriormente, na série de conferências na década de 1990 foram definidos vários compromissos sociais, entre eles o de erradicação da pobreza e a igualdade de gênero. “A desigualdade é a razão pela qual contra todas as teorias e modelos , a pobreza não está recuando, ou se está o faz muito lentamente, mesmo em países onde a economia cresce a passos acelerados”, afirmou Bissio.

Ainda, de acordo com o relatório, o caminho do desenvolvimento trilhado pelas nações mais ricas está exaurindo os recursos naturais do planeta. “E preciso uma mudança radical no atual sistema econômico que continua a produzir e a acentuar desigualdades econômicas e sociais em todo o mundo”.


Alguns dados:

Estima-se que um 1,6 bilhões da população mundial vive atualmente em casas de má qualidade. 100 milhões são sem-teto e cerca de um quarto são sem-terra.

EUA: Este país é o lar de 5% da população do mundo, no entanto, consome 25% da energia mundial e é responsável por 22% das emissões de dióxido de carbono industrial do mundo.

Itália: Atualmente 68% dos vertebrados terrestres estão em riscos, 66% das aves, 64% dos mamíferos e 88% dos peixes de água doce.

Vietnã: A temperatura média subiu cerca de 0,5-0,7% entre 1958 e 2007 e o nível do mar teve uma elevação de 20cm.

Confira o relatório completo: http://www.socialwatch.org/


Ver online : Agência Jovem de Notícias