Página inicial > BRASIL > Mais de 33 milhões de pessoas passam fome todo dia no Brasil, demonstra (...)

Mais de 33 milhões de pessoas passam fome todo dia no Brasil, demonstra pesquisa

quinta-feira 9 de junho de 2022, por Tatiana Scalco - Ciranda Bahia,

A segunda edição do Inquérito Nacional sobre Insegurança Alimentar no Contexto da Pandemia da Covid-19 no Brasil (II VIGISAN) analisa dados coletados entre novembro de 2021 e abril de 2022

em parceria com os Jornalistas Livres

A fome no Brasil dobrou em um ano. São 125, 2 milhões de pessoas em situação de insegurança alimentar. Destas, mais de 33 milhões de pessoas passam fome todos os dias. O país regrediu ao patamar dos anos 1990. Esses são alguns dos dados do “Inquérito Nacional sobre Insegurança Alimentar no Contexto da Pandemia da Covid-19 no Brasil” divulgados hoje (8 de junho).

JPEG - 60.2 KB
PNG - 870.2 KB
JPEG - 56.8 KB

fonte: Olhe para a fome

A pesquisa demonstra que em um ano, mais 14 milhões brasileiros começaram a passar fome. A fome se agravou no Norte e Nordeste. Ela fez parte do dia a dia de uma em cada quatro famílias da região Norte e uma em cada cinco famílias da região Nordeste. A média nacional é de cerca de 15%, sendo que na região Sul, 10%.

JPEG - 78.9 KB

Crédito: Lucas Martins

A fome tem cor e gênero. 65% dos lares comandados por pessoas negras (pretas ou pardas) convivem com restrição de alimentos em qualquer nível. Nas casas onde as mulheres são chefes de família, a fome aumentou de 11,2% para 19,3%. E nas casas das famílias com crianças menores de 10 anos, a fome dobrou de 9,4% em 2020 para 18,1% em 2022.

PNG - 870.2 KB

fonte: Olhe para a fome

E junto com a fome, vem a sede. A insegurança hídrica (insuficiente aceso regular e permanente à agua) é realidade para 12% da população brasileira. A insegurança alimentar se manifesta em 48,3% dos lares com restrição de acesso à água na região Norte, em 43,0% no Sudeste, em 41,8% do Centro-Oeste e em 41,2% no Nordeste. Onde falta água, também falta alimento.

O campo passa fome. Nas áreas rurais, 60% dos domicílios tiveram níveis de insegurança alimentar. E 18,6% das famílias convivem com a fome (insegurança alimentar grave). A pesquisa destaca que até quem produz alimentos está sofrendo fome. Ela chegou em 21,8% dos lares de agricultores familiares e pequenos produtores.

A pesquisa aconteceu entre novembro de 2021 e abril de 2022. Foram realizadas entrevistas em 12.745 domicílios em áreas urbanas e rurais de 577 municípios do país. As entrevistas aconteceram nos 26 estados e Distrito Federal. Os parâmetros utilizados para medir a Segurança Alimentar e a Insegurança Alimentar foram baseados na Escala Brasileira de Insegurança Alimentar (Ebia), também utilizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Ela foi realizada pela Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (Rede PENSSAN), em parceria com Ação da Cidadania, ActionAid, Oxfam Brasil, Fundação Friedrich Ebert Stiftung Brasil, Instituto Ibirapitanga e Sesc SP

fonte: Olhe para a fome

Para ler o relatório completo da pesquisa, clique aqui .

fonte: Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (RedePensan)