Página inicial > BRASIL > Comunicação > Acampamento Terra Livre Bahia organiza comunicação compartilhada

Acampamento Terra Livre Bahia organiza comunicação compartilhada

quinta-feira 2 de maio de 2019, por Mil Baianas, Tatiana Scalco - Ciranda Bahia,

Defesa dos territórios ancestrais, educação e saúde serão as principais pautas

Na última semana (28 de abril a 02 de maio de 2019) intensificaram-se as reuniões de preparação do grupo de trabalho (GT) que atuará na Comunicação Compartilhada do Acampamento dos Povos Indígenas da Bahia 2019 (ATL BA 2019). Integrantes do GT encontraram-se em Salvador para construir planejamento coletivo das atividades de comunicação compartilhada. Estão previstas ações como oficina de educomunicação, pré-produção de pautas voltadas para mídias digitais, bem como vídeos e textos, planejamento das equipes que atuarão na cobertura, entre outros.

JPEG
foto: Cristiano Pedreira - da esquerda para direita: Danilo Cunha, Tatiana Scalco, Carla Fonseca, Estevita Queiroz, Danilo Paiva, Kahu Pataxó, Vanessa Carvalho, Daniel Silva

Participam do Grupo de Trabalho da Comunicação Compartilhada do Acampamento dos Povos Indígenas da Bahia 2019 (ATL BA 2019) representações do Movimento Unido dos Povos Indígenas da Bahia (MUPOIBA), PET Comunidades Indígenas UFBA, Ciranda Internacional de Comunicação Compartilhada, Instituto Hori/TV Kirimurê, Instituto 17 (17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável), além de diversos(as) midiativistas.

A comunicação compartilhada é o meio no qual atividades jornalísticas coletivas são criadas pelo encontro das mídias livres. Ela é estratégica para o fortalecimento da democracia num momento histórico marcado pela propagação do ódio e da violência com uso das tecnologias de comunicação. A comunicação compartilhada potencializa e é meio para a implementação dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), destaca Alessandro Sanches Pereira (Presidente do Instituto 17). E complementa: “ela auxilia na promoção de parcerias eficazes, estratégias mobilização e ações para o desenvolvimento sustentável, com vistas a garantia de que todos os seres humanos possam realizar o seu potencial com dignidade e igualdade, num ambiente saudável (ODS 17 – parcerias e meios de implementação).”

sobre os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável:

https://nacoesunidas.org/pos2015/ag...

O próximo encontro do GT de comunicação compartilhada do 3º ATL BA será durante a oficina de educomunicação para povos e organizações indígenas que ocorre no dia 05/05 - domingo, durante o dia inteiro, no TV Kirimurê, na Barra, em Salvador.

Contato da comunicação compartilhada do Acampamento dos Povos Indígenas da Bahia 2019 (ATL BA 2019): acampamentoindigenabahia2019@gmail.com

Sobre o Acampamento dos Povos Indígenas da Bahia 2019 (ATL BA 2019)

A 3ª edição do Acampamento dos Povos Indígenas da Bahia 2019 (ATL BA 2019) será realizada entre os dias 07 e 10 de maio de 2019, em Salvador - Bahia. Cerca de 600 indígenas, de 23 povos indígenas e suas mais de 140 comunidades da Bahia são esperados. Suas atividades estarão concentradas na frente da Assembleia Legislativa do Estado da Bahia (ALBA), localizada no Centro Administrativo da Bahia (CAB). O encontro ocorre há três anos em caráter pacífico. Nele, os indígenas discutirão com os órgãos do governo e a sociedade seus direitos territoriais, educação, saúde, mulheres, juventude, infraestrutura, produção e meio ambiente. Em 2019, as principais pautas são Demarcação das Terras Indígenas, Educação e Saúde. O Movimento Unido dos Povos e Comunidades Indígenas da Bahia (MUPOIBA) organiza o acampamento, com apoio, entre outros, do Programa PET Comunidades Indígenas da Universidade Federal da Bahia (UFBA).

Vaquinha Virtual

Para chegar em Salvador e manter o Acampamento dos Povos Indígenas da Bahia 2019 (ATL BA 2019) foi criada vaquinha virtual. O dinheiro coletado será utilizado na compra de alimentos, materiais de limpeza, materiais para manutenção das barracas; bem como no pagamento do deslocamento dos indígenas para o acampamento e durante o acampamento para as audiências junto aos órgãos de estado. O movimento indígena baiano pede seu apoio.

vaquinha virtual
http://vaka.me/529814