Página inicial > documentos > Ciranda.net > Fórum Mundial de Educação Alto Tietê > A fresta da leitura

A fresta da leitura

sábado 15 de setembro de 2007, por Denise Gabriela,

Oficina sobre dinâmica das leituras de roda feitas por um coletivo de monitores da Funap, grupo que atua na educação de adultos presos, trouxe a experiência para o Fórum Mundial de Educação e algumas dicas para os professores.

Os monitores explicaram que a educação nos presídios deve considerar o que acontece sistema onde os alunos/as estão inseridos, e buscar estabelecer relações com o mundo fora dos muros das prisões.

Para Funap, que responde por programas de ensino fundamental e médio, formação profissionalizante e geração de renda, e também com teatro, esporte e leitura nas prisões, "é fundamental a utilização de uma metodologia que trabalhe e discuta temas que façam parte da vida do aluno, possibilitando trocas de experiências que considerem os saberes trazidos por cada membro de uma sala de aula".

Se o educador deve ter, segundo a Funap, o papel de organizador do processo de construção de conhecimentos, os quais devem possibilitar ao aluno compreender a realidade em que está inserido para poder transformá-la, é possível imaginar quantas experiências esses professores das prisões podem trazer aos professores de fora delas.


Partilhar o saber

As dicas das oficinas sobre dinâmica de leitura são muito simples, e basicamente se preocupam em que os textos escolhidos sejam de fato interessantes para quem vai ler e ouvir coletivamente. Seguem algumas delas, que tentamos contar aqui:

1° Passo: A escolha do texto, depende do tipo de pessoa que será seu público. Analisando o seu público, você descubrirá que gênero literário ele gosta. Isso implica pesquisar. Você é que tem que se adequar ao público, precisa chamar atenção, e se o assunto não agrada, você correrá o risco de perder seu público no meio da dinâmica.

2º Passo: Montar um cenário de acordo com o tema do texto que você vai ler. Exemplo: Se o assunto for árabe, monte uma tenda, simule, capriche nos detalhes, mesmo que sejam bem simples. Faça um aquecimento falando do autor, do gênero literário, uma brincadeira. Essa roda pode ser uma dramatização do texto, interpretação, uma leitura compartilhada (desde que, todas as pessoas também tenham o texto). Fale alto, coconseguindo que as pessoas acompanhem e discutam. Pode ser uma narração, ou um conto, como se você fosse o personagem ali na roda ao vivo.

3º Passo: Quando acabar a apresentação, abra para a reflexão.

Existem várias formas de fazer, você tem que criar e experimentar.